Chocoluarte

Goiânia,

Ajude-nos a conhecê-lo, nos contando sobre o seu negócio e as causas que ele apoia

Minha história com doces começou em 1996, quando eu levava brigadeiro de colher para a sala de aula, e dividia com as minhas amigas. Eu fiz uma mistura que rendeu muitos elogios e desde então não parei mais!! Em festas de família, sempre fazia bolos, doces... mas nunca me passou pela cabeça empreender nessa área, tanto é que em 2011 me formei em Pedagogia, com a ajuda da venda dos meus chocolates, e fui ser professora. Mas falo disso já já.
Em 1999 eu fiz a minha primeira receita de pão de mel que foi um fracasso só, pois eu não tinha a mínima noção do tamanho da forma, que era enorme, para pouca massa, e acabou queimando e grudando tudo, e nesse mesmo dia, meu tio, que morava comigo, faleceu em casa. Foi algo inesquecível pra mim... pão de mel queimando, a gente chorando, aquela loucura.... Semanas depois, com tudo ao normal novamente, comprei uma forma decente e fiz novamente o pão de mel. Ele era simples, e comecei a vender em locadoras de vídeos. Teve bastante aceitação. Continua

Como você utilizaria o valor da premiação para impulsionar sua empresa?

Mudaria de local, para um maior, onde eu possa colocar mesas para os clientes entrarem e comerem, compraria produtos, embalagens e com certeza doaria uma quantia para causa animal.
Continuando: Comecei a rechear e vender cada vez mais. Em 2000 parei de mexer com isso, e voltei em 2005. Em 2007 comecei a fazer Pedagogia, me formei, fui dar aulas e aturei somente 2 anos. Não dá! É muito stress, pressão, etc... então, em 2014 fui procurar outra área. Acabei conhecendo uma pessoa que tornou-se um grande amigo, um verdadeiro irmão, dono de um buffet, que conheceu meu pão de mel e morreu de amores por ele. Pediu que eu fornecesse os doces dos casamentos para ele, e assim entrei no ramo de doces para casamentos, sem ter a mínima ideia do que fazer, como fazer, como cobrar, eu simplesmente fui nadando com a maré a meu favor. Os elogios eram muitos, e fui crescendo cada vez mais. Em março de 2020, há uma semana de um casamento, eu já estava com todos os ingredientes comprados, continua...

Mais alguma coisa que você gostaria que soubéssemos sobre sua empresa, sua experiência com a FedEx ou um comentário geral?

Continuação: , casquinhas de bombons feitas, só esperando eu rechear e fui informada que devido à pandemia, esse evento seria adiado. Morava em um condomínio e postei no grupo do facebook os camafeus por um preço bem abaixo, para que eu não perdesse dinheiro. E assim, o condomínio todo ficou me conhecendo, e o pessoal perguntava o que mais eu vendia. Bom, tudo o que me perguntavam se eu vendia, mesmo que não, eu fazia! Eu comecei a fazer até marmitex, de comida mesmo, pra vocês terem ideia de como o pessoal gostava dos meus produtos. A pandemia foi uma porta enorme, gigante, para o crescimento da minha empresa, e meu e do meu esposo como pessoas e empreendedores. Começamos e ler muitos livros sobre crescimento pessoal, empreendedorismo, e também atrás de novas receitas. Vendíamos todos os dias para os moradores do condomínio, pois eram 430 casas!! Ou seja, os casamentos foram adiados, alguns cancelados, mas em contrapartida a gente se reinventou. Tem mais coisas, mas não coube aqui. =(

Chocoluarte Chocoluarte

Galeria